Diário de Viagem: Paris Dia 02 (Parte II)

Postado por: Rafael | Categorias: Câmeras na Estrada, Dicas, Fotografia, Liralife

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_01

Oi gente! Aqui é o Rafael!  Eu é que vou narrar como foi a segunda metade desse nosso dia de andanças por Paris. Talvez eu não lembre de todos os nomes de lugares, mas no fim de tudo colocaremos todo o nosso trajeto no mapa, para vocês verem. Eu também quero ver esse mapa, pois tenho a impressão de ter andado uns 200 km nesse dia.

Nessa sequência de fotos, estávamos atravessando o Sena após ter comprado um copão de iced coffee na tal da Costa, a rede de franquias concorrente da Starbucks. Avistar qualquer uma dessas redes durante nossas caminhadas, significa primeiramente banheiro grátis, depois wifi emergencial grátis, e por último café. Mesmo porque, Paris está apinhada de cafés legais, em prédios bonitos e antigos, com mesas e cadeiras na rua. Se a vontade é de sentar e bicar um cafezinho, muito melhor ir num desses, do que se enfurnar numa dessas franquias estilo “McDonnalds Cafezeiro”.

Tô divagando aqui; de volta ao itinerário. Ficamos olhando uns posters à venda em um camelô, na beirada do rio. Alguns dias depois, voltaríamos lá para comprar eles. Nesse dia, deixamos pra lá. Resolvemos fazer umas fotos na ponte.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_02 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_03 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_04 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_05

Momento “dica de fotografia surpresa” dentro do post: surgiu a idéia de fazer uma foto pegando o movimento dos pedestres andando, enquanto alguém (a Lívia, claro) fica parado para a câmera. A boa e velha “longa exposição”. Acima, eu tentando fazer, na inocência, essa foto sem um tripé, e falhando. É que a câmera tem que ficar perfeitamente parada, sem tremer, por um tempo longo. Foi só resolver colocar o tripé no chão e aí sim, deu certo:

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_06

Esse efeito se consegue usando uma velocidade lenta de obturador (shutter speed), deixando ele aberto por um ou dois segundos.  A foto acima é um teste, antes da Lívia entrar na cena. A intenção era fazer apenas uma foto da Lívia, mas deixamos toda a sequência no post, porque aconteceu uma coisa legal: as minhas tentativas de fazer a foto, junto com as fotos que a prória Lívia estava fazendo, acabaram registrando, sem querer, o encontro de um outro casal na mesma ponte, hahahah!

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_09 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_12 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_13 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_14

Chegando do outro lado da ponte (Pont au Change), vimos uma modelo sendo fotografada por uma equipe. E por turistas que passavam pela ponte. E por nós! :)

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_15 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_17

Seguindo direto, chegamos aos portões dourados do Palais de Justice de Paris. Portões dourados cheios de ornamentos são algo relativamente comum em Paris e Londres. Assim como árvores e canteiros impecavelmente bem cuidados. E músicos de rua extremamente competentes! :)

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_18 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_19 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_20 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_21

O Sena se bifurca, e torna a se juntar mais à frente, formando duas ilhas. Uma delas abriga o Palácio da Justiça e a famosa Notre Dame. O legal é que as pessoas descem as escadas para caminhar mais rente ao rio. E há um trânsito constante de barcos. Agora, o que eu não esperava de um rio que corta o centro de uma cidade grande, e que explica todo esse movimento: o rio não é nada poluído. Não sentimos o menor sinal de mau-cheiro, e praticamente não vimos lixo boiando. Assim realmente dá gosto de sentar em suas margens e comer um sanduíche de baguete. Ficamos rodando nessa região por um bom tempo!

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_22Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_25Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_26Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_27Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_28Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_29Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_30Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_32Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_35 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_34 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_36Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_37

Desculpem o excesso de fotos da fachada da Notre Dame. Nós ficamos meio malucos com a beleza dos detalhes, e tiramos fotos demais. E quando decidimos ir andando, vimos que a lateral é tão bonita quanto a fachada.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_38Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_39Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_40Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_41Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_42Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_43Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_44

Essa foi a primeira vez que nos esbarramos com um dos famosos enxames de cadeados. Ao que parece, estão tendo que serrar as pontes para removê-los, já que o peso excessivo está prejudicando suas estruturas. Vimos cadeados em postes e em outros lugares também. Basicamente qualquer alça metálica afixada pelas ruas corre o risco de ganhar um cadeado, ou mesmo vários. Alguns são bem antigos, como esse acima, em forma de coração. Os camelôs ao redor colaboram, vendendo cadeados com seu nome gravado na hora, ou com um marcador de DVD para você mesmo assinar. Eu e a Lívia preferimos não deixar a nossa marca, em prol da saúde da(s) ponte(s).

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_45Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_46Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_47

Chegamos a um jardim ali perto da Notre Dame. Não me lembro o nome dele, mas lembro que a Lívia pirou com esse arco de flores perto da entrada. Apesar de muito bonito, acabaríamos vendo tantos jardins maravilhosos que esse ficou ofuscado, no fim das contas. Lá é assim mesmo, a cada quarteirão, uma relíquia histórica e um jardim florido… Ô saudade! Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_48Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_49Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_50Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_51Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_52Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_53Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_54

De lá, fomos andando, passando pela Sorbonne, até o Panthéon, que estava em obras. Acho que chegamos ali sem querer na verdade, pois estávamos tentando chegar no jardim de Luxemburgo. Aconteceu várias vezes nessa viagem: errávamos o caminho, e descobríamos coisas incríveis – algo que não aconteceria, se sempre seguíssemos o trajeto de um GPS.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_55Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_57

Afinal, conseguimos achar o jardim, e compramos uns paninis para farofar por lá. Ficamos por ali, tranquilamente tirando fotos na luz da tarde, quando alguns apitos começaram a tocar. Eram os vigias, que estavam fechando o jardim, porque já nos aproximávamos das 9:30 da noite! Isso mesmo. No verão, em Paris, dá para tirar fotos com a luz do sol até 9:30 da noite, tranquilamente. É ou não é o lugar ideal para um fotógrafo morar?

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_58Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_59Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_60
Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_62Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_61 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_63 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_65 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_66Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_68 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_69 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_70 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_71 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_72 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_73Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_74

Acima: fingindo estar tranquilamente sentado numa cadeira, quando na verdade tinha acabado de correr uns 20 metros do tripé, onde a câmera estava, até o lugar da foto, enquanto o timer da câmera fazia bip……bip…….bip…bip…bipbipbip!!! Detalhe: essas cadeiras de ferro ficam espalhadas pelos parques. Você pega uma, e arrasta para onde quiser! Abaixo, indo embora antes que fechassem a gente lá dentro dos jardins. Fomos andando todo o caminho de volta para casa (uma longa caminhada), fazendo um caminho ligeiramente diferente do caminho usado na vinda.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_75 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_76 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_77 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_79

Lívia se equilibrando na corrente… Só que não! Mais uma coincidência engraçada que achamos nas fotos desse dia.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_80 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_81Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_82

À noite, tudo se acende. As margens do Sena se enchem da juventude boêmia com suas cervejinhas e destilados. Quase como a nossa Praça da Liberdade, nas noites de sábado de antigamente, aqui em Belo Horizonte. Só que as pessoas de Paris, ao menos essas que estavam em partes turísticas, são muito mais quietas. Eu sempre achei que adolescentes bêbados tinham que fazer arruaça, obrigatoriamente. Eu sei que eu fiz. Mas lá eles ficam em suas rodinhas, se divertindo sem alarde, trocando acenos com os barcos de turistas que passam.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_83 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_84 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_85 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_86

A iluminação da noite nos fez ver mais detalhes da beleza das construções de Paris. Essas cabeças ornamentais, por exemplo, estão para todo lado, e são sempre diferentes entre si. Com certeza representam personagens de algum contexto que não conhecemos, mas ficamos encantados com o detalhismo, o tempo todo. Haviam também as fontes de água potável espalhadas por todo o centro, que sempre nos salvavam da desidratação. Lá, é tranquilo beber água das fontes e torneiras. Inclusive, todos os cafés e restaurantes te servem uma jarra de água de torneira, assim que você se assenta em uma mesa.

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_87Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_88Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_89Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_90Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_91Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_92Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_Parte2_93

Por último, descobrimos a existência do farol da torre Eiffel. Ele fica girando seu facho de luz pela noite afora, o que ajuda os turistas desgovernados como nós a se orientar! Depois dessa, fomos andando devagar, para nossa casa provisória, com alguns milímetros a menos nas solas de nossos sapatos, e já sentindo saudade dessa cidade no fim desse segundo dia de estadia.

 

Gostou do Post? Compartilhe!

Diário de Viagem: Paris Dia II (parte I)

Postado por: Lívia Kizli | Categorias: Câmeras na Estrada, Dicas

Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache

Não se deixem enganar, nas fotos eu estou aparentemente calma e sob controle… Mas a verdade é que no nosso segundo dia de viagem – que foi o primeiro em que a gente acordou em Paris – eu tava eufórica! Queria ver tudo, comer de tudo, fotografar tudo… A barrinha de energia ainda estava bem cheia, e a gente aproveitou pra caminhar.  Batemos perna o dia inteirinho, e num ritmo que talvez seja mais frenético do que o recomendável, mas eu não mudaria nada no roteiro! Amei cada minuto.

A cobertura fotográfica do dia ficou tão extensa, que tive que dividir em dois posts! Hoje, na parte I, mostro onde começamos nosso tour: na linda Place des Vosges. Tomamos nosso café da manhã por lá. Comi um croque monsieur e uma tarte de framboesa, e só fotografei a tortinha (que era mais fofa) mas o sanduíche tava mais gostoso, haha!

Eu e Rafael adoramos essa praça. Além do cenário ser super lindo, o clima colaborou bastante. Tinha sol mas ainda estava bem fresquinho! E não sei se foi pelo horário, mas achei lá super tranquilo, com lugar de sobra pra se sentar, ler um livro ou fazer um piquenique. Quem quiser mais informações sobre o lugar, recomendo ler aqui!

Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheLiraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_04Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_05Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheLiraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_08Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_09 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_11Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_13 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_12 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_14Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_15 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_16 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_18Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_19 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_20

Depois da praça, fomos caminhando até o Museu Carnavalet. Outro lugar lindo e bem tranquilo, sem superlotação de turistas. De lá a gente continuou andando pelo Marais, até por acaso chegarmos na Rue des Rosiers. Não tínhamos planejado isso, nem sabíamos da existência da rua, mas pelo que a gente percebeu por lá, é um endereço bem popular entre os turistas, e mais popular ainda é um restaurante que vende falafel e tem uma fila inesgotável na porta.

Eu juro que não sou Maria-vai-com-as-outras, mas dessa vez eu fiquei tão curiosa, e tava tão faminta, que acabei convencendo o Rafael a entrar na fila comigo! A experiência foi engraçada, o falafel foi ok, mas o melhor de tudo foi o lugar onde fomos fazer nosso lanche. Passamos por uma entrada, que não parecia ser nada demais, quando eu vi um espaço verde bem lá no fundo… E foi desse jeito, outra vez por acaso, que descobrimos mais um cantinho legal no Marais –  o Jardin des Rosiers Joseph Migneret. Lugar fofo, com carinha de jardim secreto, e que foi perfeito pra sentar, comer e descansar um pouco as pernas! O triste é que esquecemos de tirar fotos lá! :(

Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_26Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_27 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_28 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_29 Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_30Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_32Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheLiraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_36Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_37Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_39Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_40Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_41

Continuando nossa rota, as fotos me mostram que seguimos em direção a Rue de Rivoli, até o lindo Hôtel de Ville(foto logo abaixo)

Mas a gente não foi até lá apenas para admirar as construções históricas. Também tínhamos uma missão importante, que era comprar um adaptador de tomadas, no subsolo da loja de departmentos BHV. Eu pensei que ia pirar com o subsolo de lá, por conta desse “DIY Supplies” na placa da entrada, mas o que mais me comoveu foram as roupas  e acessórios que vi no andar de cima!!!

Aliás, as vitrines de praticamente todas as lojas na região do Marais me fizeram quase morrer de paixão! Muitas cores fortes, estampas lindas,  saias perfeitas… Enfim, tinha tudo que eu amo!  :)

Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_42Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_43Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_44Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_45

Seguimos mais um pouco pela Rivoli, onde consegui resistir bravamente ao apelo das lojas (parei no máximo umas sete vezes apenas), e num determinado ponto, mudamos a direção da caminhada, e assim chegamos nessa lindeza que aparece nas fotos a seguir: L’église Saint-Eustache, ou A Igreja de Santo Eustáquio.

É lindo, de se arrepiar e ficar com o pescoço doendo de tanto olhar pra cima! A gente ficou imaginando o som incrível que deve sair do órgão monumental que tem lá dentro.

Essa igreja, com sua inacreditável arquitetura gótica, seus vitrais coloridos e o lindo altar esculpido em madeira, é sem dúvida alguma, uma parada que eu considero imperdível!

O post termina com algumas fotos que tiramos nos arredores da igreja. No próximo post eu mostro pra vocês pra onde seguimos. E vou compartilhar também, essa rota no mapa, pra quem quiser fazer igual.

Espero que gostem do post! Beijos e au revoir!

Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheLiraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_48Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheLiraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_51Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_52Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_53Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_54Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_55Liraby_Viagem_Paris_RoteiroDia2_56Viagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-EustacheViagem Paris Roteiro Dicas, Place des Vosges,  Museu Carnavalet, Igreja Saint-Eustache

Gostou do Post? Compartilhe!

Onde ficamos em Paris + dicas pro AirBnb

Postado por: Lívia Kizli | Categorias: Câmeras na Estrada, Lifestyle

Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travel

Oi gente! Tava doida pra começar a compartilhar nossa eurotrip liratrip com vocês! Resolvi ir postando na ordem cronológica mesmo, tipo um diário de viagem mostrando um pouquinho do que a gente fez cada dia.

Não sei se já tinha contado aqui antes, mas nosso roteiro foi esse: 6 dias em Paris, 5 dias na região da Provença (sul da França) e 10 dias em Londres.

Eu confesso que 6 dias foi pouco tempo para Paris. Não pensava que ia amar tanto a cidade! Mas não me arrependo da nossa divisão de dias. Foi bom ter deixado coisas por ver, saímos de lá com aquele “gostinho de quero mais” e aquela sensação de que definitivamente era um “até logo” e não um “adeus” que estávamos dando pra cidade.

Bom, ficar 21 dias na Europa não é uma viagem barata… O euro e principalmente a libra, não estão muito convidativos, e Paris e Londres são duas cidades com custo de vida bem alto. Maaas, mesmo assim, acho que nós conseguimos fazer uma viagem bem econômica!

E uma das coisas que contribuiu bastante pra conseguirmos diminuir os gastos, foi a gente ter se hospedado em alguns AirBnbs. (AirBnb, pra quem não sabe, é um grande portal onde pessoas do mundo todo, anunciam para locação, suas casas, apartamentos, quartos,  e até castelos! Enfim, lá tem todo tipo de acomodação que você possa imaginar!)

Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travel Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travel Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_04Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_06

Não tem jeito, desde a nossa última viagem pra Nova York, fiquei viciada no AirBnb! Na primeira vez que fui, fiquei em um ótimo hotel na região da Times Square. Mas gente: Ficar num apêzinho, longe de Manhattan, lá no Queens, foi MIL VEZES mais legal! Foi perfeito!!! A sensação de estar realmente morando na cidade, mesmo que apenas por alguns dias, é muito divertido! A gente já tinha nossa padaria, nossa farmácia, kkk… E sem contar que fica muito mais barato!

A nossa experiência em Paris – que foi nesse studio que vocês estão vendo nas fotos – foi tão boa quanto a primeira em NY. Dessa vez o espaço era bem menor, um studio é na verdade o que a gente chamaria de kitnet!
Mas eu achei tão fofo ver como as donas souberam aproveitar tão bem cada cantinho! Lá tinha tudo o que a gente precisava, e tudo estava super limpinho, bem cuidado, bem decorado… Outra coisa que a gente gostou muito foi da nossa localização. Ficamos colados na Rue Oberkampf, que fica super movimentada a noite, com muitos bares legais e muita gente jovem e animada.

Também contamos com duas estações do metrô bem pertinho de casa. Nos primeiros dias a gente resolveu ficar só a pé, porque o bairro onde ficamos (République) além de já ser uma área muito interessante, está próximo a vários pontos legais de se explorar, como o cemitério Père Lachaise, Canal Saint-Martin, o Marais

No início eu pensei que a gente ia ficar andando só a pé. Mas logo a gente viu que não duraríamos nem 10 dias se não tratássemos  de economizar um pouco as pernas. É que eu e o Rafael somos daqueles que só voltam pro lugar onde estamos hospedados, pra dormir! A gente acorda cedo, vai pra rua e só volta tarde da noite! E nessa viagem então, foi bem tarde mesmo, porque só começava a escurecer lá pras 10:00! Eu vibrei com isso!!!

Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travelLiraby_Paris_Viagem_AirBnb_08Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_09Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_10 Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_11 Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_13Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_14

Mesmo tendo uma micro cozinha, quase não fizemos refeições em casa. Teve um dia que tomamos o nosso café da manhã por lá, mas fora isso, no máximo esquentamos uns lanchinhos.

No dia da nossa chegada, não tivemos a chance de conhecer nossa anfitriã, mas ela deixou pra gente todas as instruções importantes e um vinho de boas vindas! Fofa né? Depois de tomar um banho e desfazer nossas malas, a gente foi dar um passeio pelas ruas próximas. E a ficha começou a cair! E eu comecei a me apaixonar perdidamente por Paris! E a fotografar cada janela floridas que surgiam na minha frente! (Ou seja, todas as janelas, kkk!)

Voltamos pra casa e começamos a beber o vinho que tínhamos ganhado, mas aí me veio uma ideia melhor! Pegamos a garrafa e seguimos para o Canal Saint Martin. A noite tava uma delícia, e as margens do canal estavam cheias de gente. A maioria parecia ser adolescentes, e a gente achou engraçado sermos os tiozões do lugar, haha! Mas a minha ideia acabou sendo realmente ótima, a gente tava tão feliz por estar em Paris, ver o canal, as luzes, ouvir as conversas em francês… Tudo era tão mágico!!! Nossa primeira noite por lá, não poderia ter sido melhor!

Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_15Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_16Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_17Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_18Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travelLiraby_Paris_Viagem_AirBnb_20Paris, viagem, dicas, apartamento, airbnb, travelLiraby_Paris_Viagem_AirBnb_22Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_23Liraby_Paris_Viagem_AirBnb_24

Bom, como vocês puderam ver, sou muito fã do AirBnb e só tive experiências super positivas até o momento. (E não estou ganhando nada para divulgar o serviço deles!) Então, como diz o título do post, quero compartilhar com vocês quais são meus critérios pra escolher uma hospedagem por lá. Quem sabe possa servir de ajuda pra alguém, né?

1- Defino meu valor máximo (pra não sofrer vendo casas maravilhosas que eu não posso pagar)
2- Vou no mapa ao lado dos anúncios e começo a dar zoom na região do centro ou de bairros em que eu gostaria de ficar. (Pra isso é importante pesquisar sobre a cidade antes.) Ah, e sempre dou preferência para as opções mais próximas às estações de metrô!
3- Ignoro anúncios sem nenhum review. (Deixo pra alguém mais corajoso inaugurar! Tenho medo de cair numa fria, acho melhor evitar…)
4- Busco por beleza! :) Quero sempre o mais bonitinho, bem decorado, bem iluminado e colorido – dentro da minha faixa de preço e localização.
5- Leio toooodos o reviews. Vejo se as fotos são verificadas pelo site (fica uma marca d’água nas fotos), sem tem wi-fi, cozinha equipada, banheiro com tudo em ordem, cama confortável… Depois vou checar o mapa na página do anúncio, coloco no street view e dou uma circulada pelas ruas da área demarcada (aparece um círculo em uma área porque muitas vezes você só fica sabendo o endereço exatinho quando reserva, ou se perguntar ao host).
6- Se eu estiver gostando de tudo na propriedade, vou dar uma olhada no perfil de quem está alugando. Me sinto ainda mais confiante quando o host tem suas informações verificadas pelo AirBnb. Tem uns que disponibilizam link pro perfil no Facebook também. Sempre dou uma espionadinha.
7- Mesmo se eu estiver amando um anúncio loucamente, prefiro não reservar de cara. Crio uma wishlist e vou colocando meus favoritos nela. No AirBnb geralmente tem muita opção, gosto sempre de ver vários anúncios antes de tomar uma decisão. Depois que selecionei uns 5 favoritos, aí volto em todos e comparo preço/beleza/localização. O que levar notas mais altas pra esses três itens, ganha.
8- Troco algumas mensagens com o host escolhido antes de fechar, fazendo perguntinhas bobas, com a intenção de verificar o tempo que ele leva pra me responder, se tem boa vontade, se é educado, esse tipo de coisa.
9- Na hora de reservar, aproveito que eles aceitam paypal pra pagar com a cotação do dia (e tente escolher um bom dia se possível, hehe). Sempre que possível, eu prefiro já saber logo o quanto vai me doer a facada do que correr risco de sustos ainda maiores no fim do mês, comprando direto com o cartão de crédito. Atualizado: Parece que agora o AirBnb tem opção de pagamento por boleto também! :)

Bom, é isso! Se tiverem dúvidas ou mais dicas para acrescentar, podem me falar nos comentários! Semana que vem volto com mais um pouquinho de Paris! Bjo!

Gostou do Post? Compartilhe!

DIY: Estante de Cordas

Postado por: Rafael | Categorias: Aventuras DIY, Decor, Dicas

Oi, aqui é o Rafael! Lembram daquela estante que decorou o ensaio do nosso Concurso de Dia dos Namorados? Pois é, mostraremos como fazer uma igual.

Na verdade, dá para resumir em uma frase: compre tábuas iguais, fure-as nos quatro cantos, passe uma corda em cada canto, dando nós equidistantes, e pronto. Mas essa descrição tira toda a diversão de conversar fiado com vocês. Leitores e leitoras. Pessoas maravilhosas.

Por isso, ignore tudo, e vá lendo minha ladainha. Tem alguns detalhes semi-importantes mais para baixo, para os puristas do DIY.

Numa escala chamada “Escala DIY”, que eu acabo de inventar, esta estante está classificada lá no alto! Os valores dessa escala são:

JBIYD (Just Buy It, You Dumb) – Sai mais barato (considerando tempo e/ou dinheiro) comprar a coisa pronta de algum chinês do EBAY do que tentar fazê-la à mão, em casa.

DAYOR (Do At Your Own Risk) – Significa que até dá para fazer, se você se garantir com suas habilidades. Mesmo assim, não é muito vantajoso.

DIY (Do It Yourself) – Vai fundo, compensa fazer sua versão caseira desse objeto. Ou porque fica barato, ou porque é fácil, ou porque não existe uma versão pronta à venda.

DDIY (Definitely Do It Yourself) – Uma criança de nove anos com alguns trocados consegue fazer isso. É o caso da nossa estante (exceto a parte de usar uma furadeira, que na nossa sociedade, é tradicionalmente usada pelos adultos).

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-4

Compramos algumas tábuas de dimensões iguais. Marcamos um lugar nos quatro cantos de uma delas, para guiar os furos. Dá para furar várias de uma vez. Trabalhe em cima de uma bancada decente, de madeira, ao invés de ficar no chão de pedra, e você estará sendo uma pessoa melhor do que eu. Use uma broca com o diâmetro próximo do diâmetro da sua corda.

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-5Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-11

“Oi Tabuinha!! Gostou de ser perfurada quatro vezes? Você é minha melhor amiga!”

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-16

Dê um nó na extremidade da corda, e passe-a pela primeira tábua. Decida qual será a distância entre uma prateleira e a outra. A cada medida dessa distância, dê um nó na corda e passe-a por outra tábua. Obs: compramos nossa corda na Leroy Merlin, assim como as tábuas.

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-19Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-21

Deixe uma sobra quando terminar de colocar prateleiras. Essa sobra servirá para amarrar a estante depois. Comece a passar outra corda, agora em outra quina das tábuas:

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-27Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-25

Vá conferindo, pois às vezes, ao dar um nó, a corda corre um centímetro ou dois, e um lado fica torto em relação ao outro. É só subir ou descer o nó um pouco. Tive que fazer vários ajustes desse tipo, quando testei pendurar a estante pela primeira vez, na foto abaixo.

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-31

Quando estiver tudo certo, toque sobre a madeira, deixe seus chakras vibrarem, e abençoe as tabuinhas, para que nunca entortem, e aguentem para sempre o peso dos livros. Na verdade, a Lívia tirou essa foto enquanto eu piscava. Mas podem abençoar as madeiras, se quiserem muito. Não prejudica o projeto.

Liraby_diy_ESTANTE_DE_CORDAS-28

Abaixo, o resultado final. Usamos ela apenas no ensaio, por enquanto, mas acho que esta estante acabará sendo usada como um móvel de verdade, em nossa casa. Não pode ser em nenhum lugar que vente, pois ela balança bastante (se não estiver fixada, e é fácil de imaginar formas de segurá-la). É isso!

E para variar, se você se aventurar a fazer uma dessas, conte nos comentários! :)
Liraby_LiraFotografia_Ensaio_Diy_Picnic_Francês-116

Gostou do Post? Compartilhe!