Gather round, rookies

Postado por: Rafael | Categorias: Fotografia

Olá Leitora! Resolveu comprar uma câmera digital e está se sentindo mais perdida do que Tiririca no programa “Soletrando”?

Depois do meu último post, sobre as deliciosas lentes fixas, recebi uma cacetada de perguntas de leitoras. As dúvidas eram sobre coisas mais básicas, do tipo:

“Dá pra trocar de lente com a câmera X”?
“Que câmera você indica para principiantes?”
“Vou pros Estados Unidos e quero trazer uma câmera. Trago a X ou a Y”?

Daí surgiu a idéia de fazer um novo tipo de post, em estilo “FAQ”, para tentar acabar com as dúvidas dos  principiantes, e passar algumas informações básicas. É melhor responder assim, do que responder nos comentários… Porque nem todo mundo lê os comentários de cabo a rabo, em todos os posts que vão ficando pra trás… Por isso, a cada post, vou responder um punhado de perguntas. Espero que gostem! Vamos lá:

1-“Que câmera você usa?”

Essa aqui ó:

Sempre usei CANON, e atualmente, uso a Canon 5DmkII. Eu amo essa câmera. Coloquei ela no seguro, pra poder trabalhar com ela por aí, com um mínimo de tranquilidade. Ela é uma fullframe, mas nem por isso deixa as fotos automaticamente perfeitas, como muitos desejariam que ela fizesse, principalmente tendo em vista o preço. Muitas das minhas fotos preferidas foram tiradas com outras câmeras que tive antes dela, portanto ela não é absolutamente indispensável. Mas quero ver você arrancar ela das minhas mãos. Só me matando. É a melhor câmera que já tive,  estou no céu quando a uso.

2-“Qual é a melhor: Canon? Nikon? Sony? Pentax? Samsung? Wallita? Arno? Brastemp?”

No início, tanto faz. Sério. Quando você está começando, não tem como você saber direito o que quer. Essas marcas não são tão diferentes. Elas têm modelos e linhas de câmeras similares, que competem nichos entre si. E a cada mês, uma marca passa na frente da outra. A diferença entre marcas é ainda mais irrelevante quando se considera o fato de que algumas marcas utilizam, inclusive, componentes fabricados por suas rivais. A Nikon tem modelos que usam sensores fabricados pela Sony, por exemplo. Portanto, não ligue para a marca em si. Procure uma câmera que possua as características desejadas para o que você quer fazer de início, e pronto.

Mais pra frente, você pode desenvolver necessidades específicas. Pode se especializar em determinadas áreas da fotografia que exijam alguns atributos. E aí talvez uma marca faça a diferença na sua escolha. Você pode decidir que precisa do sistema de foco ou de flashes da Nikon, ou que precisa das lentes fixas f/1.2 da Canon, ou do estabilizador de imagem “in-body” da Sony. Pra mim, até hoje, não acho que marca faz muita diferença. Acho que eu estaria perfeitamente feliz com produtos da Nikon ou qualquer outra. Mas seja qual for sua escolha, ela não diz respeito apenas à câmera escolhida. Você entra em um sistema, que só é compatível com determinadas lentes, flashes, baterias e acessórios. Você se torna um refém desse sistema no que diz respeito a variedade de acessórios, preço, disponibilidade nas lojas da sua região, etc. Se você está nessa etapa da sua vida fotográfica, escolha sabiamente!

3-“Que câmera você indicaria para uma fotógrafa principiante?”

Eu comecei com uma Canon da linha Rebel. Qualquer modelo dessa linha é um ótimo começo. Fiquei com a minha por mais de um ano, e aprendi tudo que sei com aquela câmera. Não sei indicar uma da Nikon ou de outra marca, pois não conheço bem as linhas delas, mas com certeza elas têm um modelo equivalente. São as chamadas “DSLRs de entrada” de uma marca, ou seja, as DSLRs mais baratas sendo fabricadas por determinada marca em determinada época. AS DSLRs mais baratas da Canon são as da série Rebel. Pode ser qualquer uma, até as mais antiguinhas. Você encontra pessoas vendendo modelos usados por todo canto.

Rebelzinha com a lente que vem com ela. Ao lado, uma 50mm fixa.

Mas nem precisa ser uma DSLR. Acho que qualquer câmera é boa para uma iniciante, desde que ela:

a) Tenha um modo que te deixa controlar tudo (abertura, tempo e ISO) manualmente, se você quiser. Acho que todas, hoje em dia, tem isso, mas  eu conferiria. Pra mim é indispensável.

b) Faça parte de um sistema com lentes intercambiáveis. E que, de preferência, seja um sistema com componentes disponíveis no comércio da sua região. Não é só DSLR que troca de lente. Tem o formato micro 4/3 e a série NEX, da Sony, por exemplo.

c) Seja prática. O que pra mim, significa ser digital. Pra mim nada melhor para o aprendizado do que poder xeretar, descaradamente, na hora, a tela de lcd e ver como ficou sua foto. (E refazê-la, se algo estiver errado.) Também é impagável poder ver suas fotos sem sequer ter que mandar imprimí-las numa loja, fora de casa, ser cobrado por isso, e ter que voltar em uma hora para buscar os simpáticos papeizinhos. Gosto de tirar infinitas fotos em um dia sem gastar um centavo com filme, nem ficar trocando rolos. Alterar o ISO com um simples apertar de botão. Acessar o EXIF de um arquivo e ver todas as regulagens usadas para aquela determinada imagem. Consultar um historigrama. A lista continua…

d) Tenha algum meio de disparar flashes externos.

e) Tenha qualidade de imagem razoável em seus ISOs mais altos. Todos os modelos da Canon/Nikon de uns 2 ou 3 anos pra cá estão muito bem servidos nesse quesito.

4- “A câmera “X” troca de lente?”  “A câmera “X” é melhor que a “y”?

Eu provavelmente não sei. Conheço um bocado da linha EOS da Canon, e só. Se você jogar no google o nome da sua câmera, provavelmente vai achar uma página com o tipo de câmera que ela é, as especificações do modelo e tudo mais. Tudo que posso fazer é descrever os tipos de câmeras que existem hoje em dia. Veja onde ela se encaixa na lista abaixo, descubra os prováveis atributos que ela terá, e julgue se vale ou não a pena de comprá-la. Segue a lista por ordem de preços e atributos:

a) Se a câmera for uma “compact” ou compacta: Câmera pequena e leve, com sensor muito pequeno. Existem algumas que são “grandinhas”por fora, com pinta de DSLR, e muita gente acha que são melhores só porque elas fogem daquela forma retangular lisa tradicional.  As compactas não trocam de lente: geralmente possuem uma zoom “faz tudo”, cuja abertura máxima não é das melhores. Desempenho do ISO não costuma ser dos melhores também. Mas são câmeras convenientes, discretas e práticas. Só não são muito boas para desfocar partes de uma cena, nem para trabalhar sem flash em ambientes mais escuros. Exemplos de linhas famosas de compactas (marcas diversas): Cybershot, Powershot, Elph, Ixus, Coolpix, etc.

b) Se for uma “micro”, “micro 4/3″ ou “MILC” (mirrorless interchangeable-lens camera): Essa é uma nova classe de câmeras que surgiu a pouco tempo. São uma mistura de compacta com DSLR, estão bem no meio das duas. Esses modelos trocam de lente, mas ainda sim são câmeras bem pequenas e discretas. Possuem sensores bem maiores que os das compactas, o que é bom. Algumas (como a série NEX da sony) possuem sensores tão grandes quanto algumas DSLRs. Sensores maiores tem um desempenho melhor em situações de pouca luz, e são um dos fatores que ajudam a criar imagens com desfoque em partes da cena. O maior problema desse tipo de câmera é que, por serem uma coisa nova, não possuem muitas alternativas de lentes e acessórios. E não dá pra usar lentes de outra “família” nelas, sem adaptadores ou gambiarras. Seus visores são digitais, como se fosse uma telinha de lcd em miniatura. E o método de foco é o mesmo das compactas.

Comparando o tamanho dos sensores, a proporção é essa. Olha o tamanico do sensor das compactas. Detalhe: tamanho de sensor não quer dizer quantidade de megapixels. Eu valorizo mais o tamanho do sensor, e prefiro uma DSLR de 8 megapixels a uma compacta de 15 megapixels, com certeza.

c) Se for uma DSLR: Será uma câmera mais encorpada. Dependendo da lente que você acoplar, pode se transformar numa verdadeira bazooka, e nem todo mundo se dispõe a andar por aí com bazookas. O tamanho do corpo é necessário para acomodar o espelhinho que elas tem dentro de si. Esse espelho permite que, ao colocar o olho no visor, você enxergue através da lente. Nas compactas, você vê uma imagem gerada pelo sensor numa tela. Nas DSLRs você enxerga a luz diretamente. O espelho permite também um sistema diferente de focagem, que é mil vezes mais rápido e “bem comportado”. Os sensores também são maiores, o que ajuda com a sensibilidade à luz, e novamente, com o desfoque. Essa classe de câmeras é compatível com uma ampla variedade de lentes, flashes e o escambau, proporcionando muitas possibilidades para a sua fotografia. As DSLRs mais baratas são popularmente chamadas de semi-profissionais, e as mais caras de profissionais. Mas acho o termo nebuloso, já que “caro”, “barato” e “profissional” variam de pessoa pra pessoa, lugar pra lugar, etc. Eu classifico as DSLRS pelo tamanho do sensor. As mais comuns são as APS-C ou “cropadas” e as Fullframes.

As APS-C são a grande maioria. Existem modelos mais humildes e mais equipados, e o preço varia de acordo. O sensor delas é grande, o que possibilita fotos em baixa luz, e com bastante desfoque quando usadas com lentes de grande abertura. Mas as APSCs ainda perdem em tamanho de sensor para as Fullframes.

As Fullframes tem o maior sensor de todas as DSLRs: é do tamanho de um retangulinho do filme 135 comum, que você compra em qualquer farmácia(que tem 35mm de largura). As Fullframes são câmeras caras, voltadas para pessoas que levam a fotografia mais a sério, por isso costumam ter menos “modos automáticos”, e são feitas com um acabamento durável, no mínimo “acima da média” das DSLRs. Elas tem ótima performance de ISO alto e alcançam profundidade de campo bastante curta.

É isso… Existem outros tipos de câmera digital, como as APS-H, as rangefinders luxuosas e as DSLRs de médio formato. Mas essas são mais raras, e algumas estão completamente distantes da realidade de um fotógrafo iniciante  (tem médio formato de 60 megapixels. Você tem computador que aguente isso?). A menos que você seja filha do Eike Batista. Nesse caso leve a gente para um passeio na loja, quando for comprar a sua câmera.

Espero ter ajudado. Até o proximo FAQ!

Gostou do Post? Compartilhe!
Comentários do Facebook
26 comentários
  1. Dayse Amaral  08.Sep.2011 - 09:07

    Eu tenho uma Canon 350D. O que vc acha dela?
    Como sou principiante, e estou engatinhando como fotógrafa, ela é ‘legal’!!

    Bjo

    Responder
    • Rafael Resende  08.Sep.2011 - 12:49

      Ei Dayse!
      Eu comecei com uma 400D, quase igual à sua câmera! É uma senhora câmera!

      Responder
  2. Camila Gomes  08.Sep.2011 - 09:37

    Eu sou Canon Team. Estou na minha terceira Canon, atualmente a T2i, que me satisfaz plenamente (tem dois meses que estou com ela). Ainda não testei o modo filmar dela, mas pelo pouco que vi com colegas, ela é boa também.
    Gostei do texto, principalmente na parte que fala que não indica uma marca. Meu namorado tem uma Nikon e adora. Acredito que mais que recursos, ter uma camera é estuda-la, tirar fotos, ler, até entende-la. Já vi muita gente que tem uma camera poderosa na mão e tira fotos triviais, o que uma compacta faria tranquilamente.

    Responder
  3. Paula  08.Sep.2011 - 09:58

    Ótimas dicas! Estou investindo numa boa câmera profissional e não quero me arrepender! Tô lendo tudo o que aparece sobre elas pra fazer uma boa escolha! Thanks pelas dicas!

    Responder
  4. Glênia  08.Sep.2011 - 10:29

    Ei Rafael,

    estou com planos de comprar uma máquina fotográfica neste mês, e as dúvidas sobre qual a melhor marca, modelo e tals surgiu!! A ideia inicial era comprar uma semiprofissional, mas pensei melhor, e quero uma profissional, mesmo que mais baratinha, agora no início.

    Este post foi super útil para mim, que estou a procura de uma que me atenda. Parabéns!

    Você poderia indicar lugares, sites, pessoas para comprar, para quem não tem o canal de trazer de fora? ;)

    Beijos

    Responder
    • Rafael Resende  08.Sep.2011 - 13:03

      Glênia, comprar câmera no Brasil é uma tristeza.

      A importação das câmeras, com impostos e tudo, joga o preço lá em cima. Você identifica as lojas que pagam os impostos pelo preço das câmeras, que costuma ser absurdo. Esse é o meio mais seguro de comprar uma câmera.

      Algumas lojas vendem bem mais barato. Alguma mágica eles fazem pra abaixar o preço assim, e não deve ser nada bonito. Mas por ser uma loja, as pessoas ainda sentem certa confiança.

      Muita gente (a grande maioria) compra câmeras no mercado livre, ou nesses camelódromos (25 de março, shopping Oiapoque, etc). O preço chega a ser um terço do que cobram em lojas. É mais arriscado, e a nota fiscal não deve valer para nada, mas o preço não tem competição.

      Responder
  5. Flávia  08.Sep.2011 - 11:36

    Belo post, simples e fácil de entender!

    Tenho uma Nikon D80, que há um tempo caiu e desde então têm dado problemas com foco, o que me desanimou bastante. Você sabe se essa câmera aceita lentes antigas? (de analógicas, e tal) Se não, você acha que compensa mais comprar outra câmera ou tentar consertá-la, já que esse modelo é de certa forma obsoleto.

    Obrigada!

    Responder
    • Rafael Resende  08.Sep.2011 - 14:34

      Ei Flávia!

      Se eu fosse você, levava ela pra orçar um conserto. Vai que é coisa simples? Podes ser que o problema seja apenas na lente, nesse caso é só arranjar outra!

      Agora, se tem uma coisa que eu nao entendo são as 500 mil siglas diferentes nas lentes da Nikon. O google se sai melhor do que eu nesse quesito, hahaha!
      Pesquisando por lá, achei esse link: http://www.ehow.com/list_6864009_nikon-lenses-work-d80-cameras_.html
      Parece que qualquer lente da nikon, fabricada de 1977 pra cá, serve nela. Algumas não têm autofoco, e outras desabilitam a medição de luz, mas que dá pra usar, dá.

      Responder
  6. Giselle Alves  08.Sep.2011 - 11:57

    Amei as dicas Rafael!!
    Eu achava que a marca significava se a qualidade era boa ou não,mas agora eu entendi. Eu devo me basear não nas marcas e sim nas funçoes que eu desejo ter em uma digital né. Ok
    Amei!!
    Bjos
    meumundogi.blogspot.com

    Responder
  7. Heloísa Muller  08.Sep.2011 - 16:01

    As suas fotos são lindas!!!!
    E as dicas são muito boas!

    Beijos

    http://blogheloisamuller.blogspot.com/

    Responder
  8. Lary  08.Sep.2011 - 16:05

    Que linda você é, Lívia!!! Te vi no GE, resolvi clicar e fiquei muito impressionada!! Você trabalha com fotografia e ainda dá super certo em frente às câmeras. rs
    Essa câmera é show, Rafael!!! Eu uso uma EOS 550D/T2i, gosto muito dela. Tenho algumas lentes, mas gosto mto de fotografar com a 50mm. Estou no ramo há quase um ano, sou novata! rsrs Essas dicas são muito boas! Amei!
    E certeza que vou estar sempre por aqui! ;)
    Beijo!!

    Responder
  9. Mahwilli  08.Sep.2011 - 18:59

    Oii tudo bem??

    Compra uma camera na Oiapoque, compensa mais do que compra uma no Pedro foto cine, Centro fortografico…. etc ???

    Nao to falando de preço,( nao que eu seje filha do silvio Santos ) ahahaha . To falando da qualidade da camera, pois muita gente fala, que sao de camelo.. e nao sao tao boas assim. Ou isso nao tem nada-aver?

    “Porque eu to começando agora… E vou falar verdade, fiquei mais confusa agora, do que antes… Tem hora que da até vontade de convida vocês, pra ir comigo compra a minha (brincadeira). ”

    obrigado

    Responder
    • Rafael Resende  08.Sep.2011 - 20:29

      Oi Mahwilli!

      Eu não disse que “compensa mais”. Eu disse que uns preferem pagar um altíssimo valor pela segurança de comprar em uma loja que paga os impostos, emite nota e garante o produto. Outros preferem pagar 3X menos, e aceitar como garantia um mero recibo e a palavra de um vendedor de camelódromo. Não faço apologia a nenhum desses métodos, cada um na sua. Eu, pessoalmente, já comprei equipamento em loja daqui, já pedi para amigos e parentes trazerem equipamento dos EUA, já comprei no mercado livre e já comprei no oiapoque também. É só passar lá e você vai ver, gente comprando lentes que custam, sozinhas, mais de 3 mil reais. Compram o tempo todo.

      Vai de cada um. Pra mim, depende do produto, da confiança e da disponibilidade. Mas uma coisa é certa: os produtos são absolutamente os mesmos em qualquer lugar. Não existe lente falsificada, corpo de DSLR falsificado, nada disso. Há quem diga que até as lojas mais barateiras compram desses contatos em camelódromos, e depois revendem.

      Responder
  10. João Pedro  09.Sep.2011 - 16:15

    Ótimas dicas Rafael,

    E o blog da Lira, quando vai ficar pronto? Os seus posts aqui são muito bons porém não ajuda tanto quem já conhece ao menos o básico.

    abs

    Responder
  11. clotildes  09.Sep.2011 - 18:01

    parabéns pela generosidade de ensinar as pessoas a arte de tirar fotos . bjs ducarmo

    Responder
  12. Helena Gabrielle  10.Sep.2011 - 00:13

    Olá, Linda Líviaaa

    Adooooro muito o seu blog, fotos,, looks. Vc arrasa demais, menina!!!

    Bjos,

    http://www.blogmariaaparecida.com

    HELENA.

    Responder
  13. Mimis  10.Sep.2011 - 11:34

    Ei, Rafael!

    Vou comprar uma Nikon D90 em dezembro! o que acha dela para principiantes?

    Responder
    • Rafael Resende  12.Sep.2011 - 09:58

      Mimis, ela é uma ótima câmera. Mais do que suficiente para começar

      Responder
  14. Amanda Septímio  11.Sep.2011 - 10:15

    Amei o post!!!!!!!! Amoamoamo fotografia e fotografar… Sou uma mera amadora. Pretendo, em breve, comprar uma máquina melhor, tenho uma Sony dessas que todo mundo tem! rs

    Você foi bastante esclarecedor! O melhor que vi, olha que eu andei lendo bastante! rsrs. Provavelmente a minha camera virá dos EUA. Aqui realmente é caro. E não sei se compraria no Shopping Oi… tenho medo com relação a assistência!

    Amo as fotografia de vocês! Que casal!! rs
    Adorei as fotos externas que vocês fazem! A foto do casal com fundo de coraçãozinho me pegou! Apaixonei!!!
    Beijooo

    Responder
    • Rafael Resende  12.Sep.2011 - 10:01

      Legal, Amanda! Obrigado pelos elogios!
      Depois mostra pra gente as fotos que fizer com a nova câmera!

      Responder
  15. Manu  12.Sep.2011 - 18:50

    Olá Lívia e Rafael… vcs são uns fofos…
    Outra coisa linda é esse blog! Delícia de se ver e ler.
    Parabéns, viu!
    Bom, deixei um comentário/pergunta no blog da LiRa, mas não obtive resposta ainda :(. Percebi que o Liraby anda a todo vapor, então resolvi transferir minha dúvida pra cá! rsrs

    Eu sou fotógrafa no interior de Minas, e no momento estou disparando meu flash fora da câmera, pelo sistema infravermelho da minha própria maquina, mas estou querendo comprar um sistema de transmissão diferenciado… o que vocês recomendam? Tem tantos aí no mercado, né!
    Mais uma coisinha… Até pouco tempo atras, eu estava disparando o meu flash através do sistema infravermelho de um outro flash, no esquema master/slave… mas uns desses flash parece que pifou! Só funciona como escravo… tem algum lugar em BH que vcs conhecem e recomendam para eu mandar o meu para consertar?
    Vlw muito pessoal!
    Bjim!

    Responder
    • Rafael Resende  12.Sep.2011 - 19:51

      Ei Manu!
      Eu te respondi lá sim, uai! Viu não?

      Tem problema não! Citando e aprofundando um pouco no que eu escrevi lá:

      “Eu uso um disparador de rádio, o Pocketwizard Plus II. Como fazemos casamentos, precisamos de algo com ótimo alcance e que dispare toda vez que for acionado. E o Pocketwizard é assim. É uma das marcas mais antigas no mercdado, e é quase que um padrão mundial na indústria da fotografia. Compre um desses e você nunca mais vai ter que se preocupar.

      Agora, se eu estivesse trabalhando apenas em estúdio, em distâncias curtas, com mais calma, ou por se eu fotografasse só por hobby, provavelmente teria comprado transmissores mais baratos, tipo esses do ebay/dealextreme.”

      O esquema de infravermelho é meio frustrante… Funciona até bem em ambientes internos, mas em ambientes externos e/ou ao usar modificadores de luz… Não há como confiar que o flash vai disparar toda vez.

      Reparo de flash é no Paulo Flash! Ele fica na Rua Tupinambás, 460. É no terceiro andar, fica bem de frente para quem sai do elevador. Telefone de lá: 3271-3577.

      Responder
  16. Carla  20.Oct.2011 - 16:13

    Parabéns pelo blog… tudo é simplesmente prefeito encantador, o estilo da Lívia, os ambientes das fotos, a própria Lívia, e as fotos… perfeitas!!

    Temos uma máquina digital simples, pois não trabalho com fotografia, somente para o uso familiar, mas sempre sonhei em comprar uma máquina melhor, estou a procura de uma que seja de fácil manuseio, mas que destaque as cores dos ambientes e tenha a função de desfocar uma parte da imagem e destacar um certo ponto, não tenho a menor idéia da nomemclatura destas funções, pretendo comprar uma máquina como sempre sonhei, gostaria de pedir uma ajuda sua.

    Gostaria de saber se a série NEX da sony é considerada uma máquina semiprofissional?

    MUUUUUUUITO obrigado!!!
    Carla Bento.

    Responder
  17. Mayra  24.Oct.2011 - 14:04

    Olá, sou do Rio de Janeiro e me apaixonei pelo blog a primeira vista.

    Eu estava a procura de uma câmera de boa qualidade para quem ama fotografia mas não tem noção profissional da mesma.
    Eu gostaria de saber se essas câmeras que vocês indicaram são de fácil manipulação para quem nunca mexeu em câmeras desse tipo e se eu posso encontrar esses modelos fora do Brasil, por exemplo, Argentina ou Paraguai e se vale a pena também.
    Vocês estão de parabéns! Formam um casal muito lindo e talentoso.

    Obrigada pela atenção.

    Mayra Marques.

    Responder
    • Lívia Kizli  25.Oct.2011 - 12:17

      Olá Mayra! Sim, vale a pena investir mesmo você não tendo muita noção de fotografia ainda. Uma câmera da linha rebel da canon é ótima pra quem tá ccomeçando a se interessar e quer começar a aprender (tô falando da canon pq é a marca que conheço, mas nikon, sony, etc, tb tem câmeras ótimas). E vc com certeza vai achar delas no exterior sim. E com preço bem mais em conta!

      Responder
Deixe o seu comentário