Diário de viagem: Paris Lado B

Diário de viagem: Paris Lado B

Paris_dia_cinco01b

Olá, pessoal! Rafael aqui de novo. Minha vez de narrar nossa viagem! Nesse dia, decidimos começar fugindo dos pontos turísticos, e dando um passeio pela parte residencial, por trás do bairro onde estávamos hospedados. Compramos nosso café da manhã pelo caminho, na rua – frutas e produtos aleatórios de uma Monoprix, eu acho (está aberta a janela para a Monoprix patrocinar este post. Aceitamos pagamento em milhas). Subimos até este parque da foto acima (Parc de Belleville), movimentado desde cedo com crianças parisienses, pessoas tocando seus instrumentos musicais pelos cantos, etc.

Paris_dia_cinco06 Paris_dia_cinco07

Aí vem a vantagem de não viajar em grupos com guias turísticos, rotas e programação rígida. Andando pelos bairros, errando caminhos, a gente descobre muitas coisas legais, que dão o tom de como deve ser morar em Paris. Demos de cara com uma “feira de usados”, que ocupava um quarteirão. Ao virar a esquina, percebemos que ela se extendia por toda a rua de cima! Você encontra de tudo nessa feira – roupas, brinquedos, utensílios de cozinha, sapatos, objetos de decoração, coisas antigas e coisas atuais, em todos os estados de conservação!

Paris_dia_cinco08

Agora, momento correção: a chamada para este post é um pouco fora da realidade. Dificilmente existirá um “Lado B” de Paris, pois quase toda a cidade é bem conhecida, apinhada de turistas e tudo mais. Mas alguns lugares são realmente um pouco mais “nativos” que outros, mais corriqueiros, sem lojas de souvenir, sem pessoas tirando 20 selfies por metro quadrado. Este é o caso da feira, que fica na Rue des Pyrénées. Sempre tentamos ver e vivenciar este tipo de lugar em nossas viagens!

Paris_dia_cinco09 Paris_dia_cinco10 Paris_dia_cinco11

Chegamos neste outro parque abaixo (o Parc des Buttes-Chaumont), mas não ficamos lá por muito tempo. Boa parte das pessoas de lá eram parisienses, se empenhando arduamente em alguma atividade física, ao ponto de nos deixar desconfortáveis em relação ao nosso ócio de comer croissants escornados em um banquinho, olhando a vida passar. Frente a este dilema moral, seguimos viagem, e voltamos para a rua.

Paris_dia_cinco12 Paris_dia_cinco14Paris_dia_cinco15Paris_dia_cinco16

Acima, a confeitaria com as tortas mais gostosas do mundo, mesmo depois de terem sido destruídas pela andança (compramos as tortas para comer mais tarde, e elas chacoalharam tanto, que se esfacelaram completamente. Mas continuaram uma delícia). Abaixo, mais vendedores da feira de usados. A feira chegava até aporta do parque.

Paris_dia_cinco17Paris_dia_cinco18Paris_dia_cinco19

E abaixo, essa xícara, que me traz uma saudade gigante. Esse café foi apelidaddo por nós de “café do cemitério”, pois ficava de frente para o  Père-Lechaise. Foi o melhor café que tomamos em Paris. Os cafés em Paris não são muito gostosos, no geral. O ambiente é que é uma delícia, sentar nas cadeiras colocadas no passeio e ficar ali, olhando as pessoas, admirando a paisagem, tentando pescar alguma coisa das conversas ao redor. Mas o café que é servido geralmente nem é tão bom assim. Exceto no “café do cemitério”. Lá, estava bom demais!

Paris_dia_cinco20Paris_dia_cinco21

Aí, resolvemos entrar no cemitério. Essa foi a parte mais turística deste post, até então. O Père-Lechaise é um cemitério famosão, por ser muito bonito, e por abrigar tumbas de famosos como Jim Morrison, Édith Piaf e Oscar Wilde. Não é o tipo de passeio favorito da Lívia, que curte ambientes mais “vivos” (alarme de ironia tocando).

Paris_dia_cinco22Paris_dia_cinco23Paris_dia_cinco24Paris_dia_cinco26Paris_dia_cinco27Paris_dia_cinco28Paris_dia_cinco30Paris_dia_cinco31Paris_dia_cinco32

Mas… ao entrar, acho que ela ficou mais deslumbrada do que eu. Há lápides tão velhas que chegam a quebrar, inclinar ou perder completamente a legibilidade das inscrições.  As esculturas são de cair o queixo – assim como todo o verde que cerca as obras. Algumas, retratando donzelas em luto ou crianças chorando, são tão bonitas e intensas que emocionam de verdade. Passeio recomendado a todos!

Paris_dia_cinco34Paris_dia_cinco36Paris_dia_cinco37Paris_dia_cinco38Paris_dia_cinco39Paris_dia_cinco40Paris_dia_cinco45Paris_dia_cinco41Paris_dia_cinco42Paris_dia_cinco44Paris_dia_cinco47Paris_dia_cinco49Paris_dia_cinco50Paris_dia_cinco52Paris_dia_cinco53Paris_dia_cinco55Paris_dia_cinco56Paris_dia_cinco58Paris_dia_cinco59

É isso! Em breve, a parte dois desse dia maravilhoso. Aguardem.

 

Follow:

6 Comments

  1. Tatiane Santos
    31/08/2015 / 17:19

    Correção Rafael, seus textos são incríveis como os de Lívia …ahahaha
    Parabéns, estou adorando… mais estou sentindo falta do olhar de Lívia,
    como disse vocês se completam! Aguardando ansiosa pelo curso !!!
    Abç Tati

    • 31/08/2015 / 19:26

      Ei Tati!

      Nós estamos nos alternando, cada um escreve em um post. Ou seja: no próximo, ela estará de volta! :)
      E obrigado pelos elogios. Até breve!

  2. Delmar das Graças Celestino
    31/08/2015 / 21:34

    Flores e mais flores , cartão de visita que encanta e alegra nosso coração!!! Bju

  3. Camila
    18/09/2015 / 18:30

    Como esse blog pode ser tão encantador!!? Vcs estão de parabéns!!! Depois de ver um post eu não consegui mais parar! hahah falei pro meu marido que precisamos voltar pra Paris hahaah Uma perguntinha… vcs tem post de Londres também!? Beijooosss!!

    • Lívia Kizli
      23/09/2015 / 19:08

      Ei Camila!!!! Que alegria saber que você está gostando do blog! Ficamos muito felizes! Vamos ter posts de Londres sim!!! Ficamos 10 dias por lá! Aguarde que jajá chegamos nessa parte, hehe! Grande beijo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>